Como os solopreneurs continuam a evoluir?

Neste meu início de jornada a trabalhar para mim mesma, tenho-me deparado com vários desafios próprios deste modo de trabalho.

É a primeira vez que trabalho em casa e completamente sozinha. Não tenho de dar justificações a ninguém e sou completamente livre para gerir o meu trabalho como bem entender. Inclusive não tenho prazos para entregar trabalho a nenhum cliente. O único compromisso que tenho com outros é cumprir os horários das sessões que marco com clientes ou das gravações para o podcast. Tudo o resto é apenas compromisso comigo mesma.

Toda esta liberdade pode parecer um sonho, mas a verdade é que para mim tem muitos desafios. Eu tenho um elevado grau de comprometimento com os outros, mas quando o compromisso é só comigo mesma o cenário muda de figura. Toda esta liberdade que eu adoro, faz com que precise ser ainda mais disciplinada para conseguir cumprir os meus objetivos e isso é um desafio para mim. Na verdade, não nasci para ser disciplinada, mas sei que preciso da disciplina nem que seja só um bocadinho.

No entanto, apesar de andar sempre às turras com a disciplina, o que mais me preocupa nesta vida solitária de solopreneur é a evolução profissional.

Como continuar a aprender e a crescer como profissional sem ter alguém mais experiente do que eu a orientar-me e, sobretudo, a desafiar-me?

Aquilo que sempre mais gostei enquanto profissional foi conseguir beber do conhecimento e experiências dos meus chefes e dos meus colegas. Adorava quando me faziam perguntas que me obrigavam a pensar e sempre que me desafiavam a dar mais de mim e a sair da minha zona de conforto. Agora não tenho isso e faz-me bastante falta. Por mais que me tente desafiar a mim mesma, nunca é a mesma coisa. Estou demasiado envolvida.

Consigo continuar a fazer formação que me traga mais conhecimento e mais competências, mas no que toca a desafiar o modo como estou a fazer o que faço e o modo como estou a pensar, torna-se mais complicado.

Sei que mais cedo ou mais tarde vou ter de arranjar uma solução. Não vou conseguir viver sem esta componente, mas para já assusta-me um pouco e, por vezes, faz-me questionar se este modo de trabalho é mesmo o ideal para mim.

Há mais solopreneurs desse lado? Também se deparam com esta questão? Como a ultrapassam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *